Floristic Survey of a Portion of the Vegetation Complex of the Coastal Zone in Piauí State, Brazil
American Journal of Life Sciences
Volume 3, Issue 3, June 2015, Pages: 213-218
Received: May 12, 2015; Accepted: May 20, 2015; Published: Jun. 1, 2015
Views 3940      Downloads 123
Authors
Mateus Cardoso do Amaral, Luís Correia City Hall, Luís Correia, PI, Brazil
Jesus Rodrigues Lemos, Federal University of Piauí, Coordination of Biological Sciences, Campus Ministro Reis Velloso, Parnaíba, PI, Brazil
Article Tools
Follow on us
Abstract
The coast of Piauí state, unexplored regarding its phytodiversity, instigates conducting research that contributes to the knowledge of its flora. This study aims to better understand the floristic diversity of a patch of vegetation in the village of Curral Velho (02º 52’ 45” S and 41° 40’ 01” W), in the municipality of Luís Correia, Piauí state. Random monthly samples were collected in the study area over eight months; 105 specimens were collected and 93 species belonging to 76 genera and 33 families were identified. Local flora includes floristic elements of Caatinga, Cerrado and Restinga, suggesting that the plant community in the coastal area of Piauí has a transitional nature. This study brings unpublished data on the floristic diversity of the studied area, contributing, ultimately, to the knowledge of the flora in the state as a whole. This is a pioneer and partial inventory in this portion of the state and does not portray its full phytodiversity, thus subsequent surveys are required to add data for a better knowledge on the flora in the studied stretch.
Keywords
Flora, Phytogeography, Piauí State
To cite this article
Mateus Cardoso do Amaral, Jesus Rodrigues Lemos, Floristic Survey of a Portion of the Vegetation Complex of the Coastal Zone in Piauí State, Brazil, American Journal of Life Sciences. Vol. 3, No. 3, 2015, pp. 213-218. doi: 10.11648/j.ajls.20150303.22
References
[1]
Ab’Sáber, A.N. 2001. Litoral do Brasil. São Paulo: Metalivros. 288p.
[2]
Veloso, H.P., Rangel Filho, A.L.R. and Lima, J.C.A. 1991. Classificação da vegetação brasileira adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: IBGE, Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais, 124 p.
[3]
Fernandes, A. 1998. Fitogeografia Brasileira. Fortaleza, Multigraf. 399p.
[4]
Ab’Sáber, A.N. 2003. Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial. 159p.
[5]
Ab´Sáber, A.N. 2006. Brasil: paisagens de exceção – O litoral e o Pantanal Mato-grossense: patrimônio básicos. Cotia, SP: Ateliê Editorial. 182p.
[6]
Fernandes, A. 1990. Conjunto vegetacional cearense. p.51-98. In: A. Fernandes (Ed.). Temas fitogeográficos. Fortaleza, Stylus Comunicações.
[7]
Figueiredo, M.A. 1997. A cobertura vegetal do Ceará (Unidades Fitoecológicas) In: Ceará (Ed.). Atlas do Ceará. Fortaleza, IPLANCE.
[8]
Matias, L.Q. and Nunes, E.P. 2001. Levantamento florístico da área de proteção ambiental de Jericoacoara, Ceará. Acta Botanica Brasilica 15 (1): 35-43.
[9]
Moro, M.F., Castro, A.S.F. and Araújo, F.S. 2011. Composição florística e estrutura de um fragmento de vegetação savânica sobre os tabuleiros pré-litorâneos na zona urbana de Fortaleza, Ceará. Rodriguésia 62 (2): 407-423.
[10]
Pianka, E.R. 1994. Evolutionary ecology. New York, Rarpercollins College Publishers. 486p.
[11]
Ricklefs, R.E. 2003. A economia da natureza. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan. 503p.
[12]
Fernandes, A.G., Lopes, A.S., Silva, E.V., Conceição, G.M. and Araújo, M.F.V. 1996. IV – Componentes biológicos: Vegetação. In: CEPRO, Macrozoneamento Costeiro do Estado do Piauí: relatório geo-ambiental e sócio-econômico. Teresina: Fundação CEPRO. p. 43-72.
[13]
Farias, R.R.S. and Castro, A.A.J.F. 2004. Fitossociologia de trechos da vegetação do Complexo Campo Maior, PI, Brasil. Acta Botanica Brasilica 18 (4): 949 – 963.
[14]
Freire, M.S.B. 1990. Levantamento florístico do Parque Estadual das Dunas de Natal. Acta Botanica Brasilica (4): 41-59.
[15]
Martins, S.E., Rossi, L., Sampaio, P.S.P. and Magenta, M.A.G. 2008. Caracterização florística de comunidades vegetais de restinga em Bertioga, SP, Brasil. Acta botanica Brasilica 22 (1): 249-274.
[16]
Santos Filho, F.S. Composição florística e estrutural da vegetação de restinga do Estado do Piauí, 2009. 124f. Tese (Doutorado em Botânica) - Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFRPE, Departamento de Biologia. Recife.
[17]
Zickel, C.S. Almeida Jr., E.B., Medeiros, D.P.W., Lima, P.B., Souza, T.M.S. and Lima, A.B. 2007. Magnoliophyta species of restinga, State of Pernambuco, Brazil. Check List 3 (3): 224-241.
[18]
Andrade Lima, D. 1951. A flora da praia de boa viagem (1.ª Contribuição). Recife: Boletim da S.A.I.C. XVIII, p.121–125 (Serviço de Divulgação Agrícola).
[19]
Cabral-Freire, M.C. and Monteiro, R. 1993. Florística das praias da Ilha de São Luiz, estado do Maranhão (Brasil): Diversidade de espécies e sua ocorrências no litoral brasileiro. Acta Amazonica 23 (2-3): 125-140.
[20]
Almeida Jr., E.B., Pimentel, R.M. de M. and Zickel, C.S. 2007. Flora e formas de vida em uma área de restinga no litoral norte de Pernambuco, Brasil. Revista de Geografia 24 (1): 45-58.
[21]
Sacramento, A.C.S., Almeida Jr., E.B. and Zickel, C.S. 2007. Aspectos florísticos da vegetação de restinga no litoral de Pernambuco. Revista Árvore 31 (6): 1121-1130.
[22]
Zickel, C.S., Vicente, A., Almeida Jr., E.B., Cantarelli, J.R.R. and Sacramento, A.C. 2004. Flora e Vegetação das restingas no Nordeste Brasileiro. pp. 689-701, in: E. Eskinazi-Leça; S. Neumann-Leitão and M. F. Costa (eds.) Oceanografia: um cenário tropical. Recife: Bagaço.
[23]
CPRM. Serviço Geológico do Brasil. 2014 Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea; Diagnóstico da cidade de Luís Correia. Disponível em: . Acesso em: 17 Fev. 2014.
[24]
Jacomine, P.K.T., Cavalcanti, A.C., Pessoa, S.C.P., Burgos, N., Mélo Filho, H.F.R. de, Lopes, O.F. and Medeiros, L.A.R. 1986. Levantamento exploratório-reconhecimento de solos do Estado do Piauí (escala 1:1.000.000) v.1/2. Rio de Janeiro: EMBRAPA/SUDENE-DRN. 782p. (Boletim de Pesquisa, 36; Série Recursos de Solos, 18).
[25]
PROJETO RADAM. 2014. FOLHA SB.23 TERESINA E PARTE DA FOLHA SB.24 JAGUARIBE; Geologia, geomorfologia, solos, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro. 1973. Disponível em: . Acesso em: 14 Mar. 2014.
[26]
IBGE. 2012. Manuais técnicos em geociências: Manual Técnico da vegetação brasileira. 2ed. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. v.1, 274p.
[27]
Rotta, E, Beltrami, L.C.C. and Zonta, M. 2008. Manual de prática de coleta e herborização de material botânico. Embrapa Florestas. Colombo, PR. 31 p.
[28]
Silva, A.T., Muniz, C.F.S., Wanderley, M.G.L., Kirizawa, M., Sendulsky, T., Silva, T.S., Maluf, A. M., Silvestre, M.S.F., Chiea, S.A.C., Custódio-Filho, A., Mantovani, W., Jung, S.L., Barros, F., Oliveira, L.C.A. Pteridófitas e fanerógamas, in: O. Fidalgo and V. L. R. Bononi (coords.) 1989. Técnicas de coleta, preservação e herborização de material botânico. Série Documentos. São Paulo: Instituto de Botânica, 62p.
[29]
ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP III. 2009. An update of the Angiosperm phylogeny group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the Linnean Society 161: 105-121.
[30]
LISTA DE ESPÉCIES DA FLORA DO BRASIL. 2014. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2014.
[31]
Thiers, B. 2014. [continuously updated]. Index Herbariorum: A global direc- tory of public herbaria and associated staff. New York Botanical Garden’s Virtual Herbarium. http://sweetgum.nybg.org/ih/. Acesso em: 28 Jun. 2014.
[32]
Lemos, J.R. and Rodal, M.J.N. 2002. Fitossociologia do componente lenhoso de um trecho de vegetação de caatinga no Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí, Brasil. Acta Botanica Brasilica 16 (1): 23-42.
[33]
Mendes, M.R.A and Castro, A.A.J.F. 2010. Vascular flora of semi-arid region, São José do Piauí, Brazil. Check List 6 (1): 39-44.
[34]
Lemos, J.R. 2004. Composição florística do Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí, Brasil. Rodriguésia 55 (85): 55-66.
[35]
Oliveira-Filho, A.T.O. and Carvalho, D.A. 1992. Florística e fisionomia da vegetação no extremo norte do litoral da Paraíba. Revista Brasileira de Botânica 16 (1): 115 - 130.
[36]
Mesquita, M.R. and Castro, A.A.J.F. 2007. Florística e fitossociologia de uma área de cerrado marginal (cerrado baixo), Parque Nacional Sete Cidades, Piauí. Pub. Avuls. Conservação de Ecossistemas 15: 1-22.
[37]
Chaves, E.M.F., Barros, R.F.M. and Araújo, F.S. 2007. Flora Apícola do Carrasco no Município de Cocal, Piauí, Brasil. Revista Brasileira de Biociências 5 (1): 555-557.
[38]
Chaves, E.M.F. and Barros, R.F.M. 2008. Resource Use of the Flora of the Brushwonod vegetation in Cocal Country, Piauí, Brazil. Functional Ecosystems and Communities 2 (Special Issue 1), p. 51-58.
[39]
CEPRO. 1996. Diagnóstico das Condições Ambientais do Estado Piauí. Teresina.
[40]
Matos, M.Q. Matas de galeria no Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), Piauí, Brasil: fitossociologia, diversidade, regeneração natural e relação com variáveis ambientais. 2009. 142 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade de Brasília, Brasília.
[41]
Matos, M.Q. and Felfili, J.M. 2010. Florística, fitossociologia e diversidade da vegetação arbórea nas matas de galeria do Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), Piauí, Brasil. Acta Botanica Brasilica 24 (2): 483-496.
[42]
Lemos, J.R. and Zappi, D.C. 2012. Distribuição geográfica mundial de plantas lenhosas das Estação Ecológica de Aiuaba, Ceará, Brasil. Revista Brasileira de Biociências 10 (4): 446-456.
[43]
Castro, A.S.F., Moro, M.F. and Menezes, M.O.T. 2012. O Complexo Vegetacional da Zona Litorânea no Ceará: Pecém, São Gonçalo do Amarante. Acta Botanica Brasilica 26 (1): 108-124.
ADDRESS
Science Publishing Group
1 Rockefeller Plaza,
10th and 11th Floors,
New York, NY 10020
U.S.A.
Tel: (001)347-983-5186